171664_5748347889931_Capa_Beneficios_Ovo

A primeira coisa que devemos falar quando o assunto é ovo é: Ovo é o alimento mais nutritivo do mundo!

Pense bem, um ovo tem todos os nutrientes necessários para formar uma nova vida, ou seja: vitamina A, Vitamina B2, Vitamina B5, Vitamina B6, Vitamina B12, Vitamina D, Vitamina E, Vitamina K, Ácido Fólico, Fósforo, Selênio, Cálcio, Zinco… Além de proteína, ômega 3 e colesterol.

Apesar disso tudo, o ovo sempre teve fama de vilão. Acreditava-se que o colesterol presente na gema do ovo trazia problemas para a saúde como as doenças cardiovasculares. Vamos entender melhor: primeiramente, devemos lembrar que o colesterol é totalmente importante e essencial ao organismo, sendo parte estrutural das nossas células e estando envolvido com a síntese de vários hormônios como cortisol, estrogênio e testosterona. Mas, em excesso no sangue o colesterol tem sim seus malefícios.

Porém, estudos mostram que o colesterol presente nos alimentos não está necessariamente relacionado ao aumento do colesterol no sangue. Como isso acontece? Nosso organismo tem a capacidade de produzir colesterol e existem diversos fatores associados com o controle do nível sanguíneo do mesmo. Quando ingerimos mais colesterol a partir da dieta, o nosso corpo produz menos colesterol, como um tipo de feedback.  Sendo assim, o nível do colesterol do sangue não vai mudar ou vai mudar muito pouco.

Além disso tudo, o ovo aumenta o nível de HDL (chamado de colesterol bom) e em poucos casos o LDL (chamado de colesterol ruim). No caso do LDL, o ovo ainda transforma o tipo de partícula de LDL de pequenas para grandes. Sabe-se que partículas grandes estão menos relacionadas a risco de doenças cardiovasculares que as pequenas.

Ou seja, é MITO. Associado a uma dieta balanceada e a hábitos de vidas saudáveis, o ovo é um excelente alimento pra se ter na dieta. Falando em quantidades, o consumo de até 3 ovos inteiros por dia é totalmente seguro, nada disso de tirar a gema.

Contudo, deve-se tomar cuidado com a gordura adicionada ao se fazer um ovo frito – essa sim tem relação com doenças – e com o sal adicionado também!

Compartilhe no Facebook

 

Acabei não falando sobre meus meses de novembro e dezembro, foram meses bem corridos como sempre acabam sendo, especialmente dezembro, mas vamos falar do que mais fiz por aqui:

Ouvindo: Rockabye – Clean Bandit, Bastille – Good Grief, CHVRHES – The mother we share, One Republic – Kids, Alok – Hear me now foram algumas das músicas que mais ouvi na academia. Outras que viciei foram Nando Reis – Só Posso Dizer e Roberta Campos – Minha Felicidade.

Agradecendo: Por mais um ano! 2016 não foi dos anos mais fáceis mas sou grata por esse espaço aqui, por vocês, pela minha família e amigos e por minha saúde estar melhorando.

Vestindo: Roupas fresquinhas, com fluidez e beem confortáveis! Passei meu primeiro réveillon de tênis haha (e o mais confortável).

Assistindo: Gilmore Girls, o revival em novembro. Amei demais e espero muito que gravem mais episódios. Também vi Black Mirror rapidinho, são poucos episódios mas gostei bastante. Depois disso me senti órfã de seriados e comecei a ver Raising Hope, uma série de comédia disponível no Netflix com só 4 temporadas. Gostei da série, é leve e engraçada. A última série foi Westworld que achei que não ia me pegar mas acabei gostando, já viram?

Comendo: Até o Natal super bem, firme na dieta. Depois do Natal desandei a comer besteiras haha mas já estou voltando a comer bem.

Pinning: Muitas coisas de fim de ano e receitinhas mais leves.

Compartilhe no Facebook

Post escrito por

Beatriz (Bia) Martins. Gosto mais de maquiagem, filmes e seriados do que de algumas pessoas. Tenho alma de gordinha, mas gosto de alimentação saudável. Compartilho aqui isso e um pouco mais.

alimentacao

A refeição após o treino é a refeição importante pra recuperar tudo que foi perdido no exercício, construir músculo, potencializar a absorção dos micronutrientes, produzir hormônios e etc.

Assim como no pré-treino, o que será consumido no pós-treino depende do objetivo e do tipo de exercício praticado, assim como o momento de consumir esse pós-treino. Por exemplo, se o seu objetivo for emagrecimento, vale mais a pena esperar um tempo depois do treino pra fazer sua próxima refeição do que comer imediatamente após – isso favorece o emagrecimento.

O ideal para o pós-treino normalmente será a refeição mais completa possível, contendo:

  • Proteína: É o nutriente mais importantes pra esse momento. Servirá para recuperar o que foi perdido no treino e para a construção muscular.
  • Carboidrato: DEPENDE! Falaremos dele com mais cuidado mais pra frente.
  • Lipídeo: Boas fontes de lipídeos serão importantes pois o lipídeo é um precursor de hormônios esteroides – hormônios que serão importantes, dentre outras coisas, para a síntese proteica. O abacate, as castanhas, o azeite são exemplos de boas fontes de lipídeo.
  • Vitaminas e minerais: além de ser importante para a recuperação dos micronutrientes perdidos durante o treino, o consumo de frutas e hortaliças será importante pois durante o treino naturalmente nosso corpo produz muitos radicais livres (principalmente em treinos de endurance, como a corrida); as vitaminas serão excelentes fontes de antioxidantes para combater esses radicais livres.
  • Também é importante lembrar de beber bastante água tanto durante quanto depois da atividade física.

Sobre a função do carboidrato, sempre se falou da importância de carboidratos com ALTO índice glicêmico nas refeições pós-treino. Isso se deve ao fato do carboidrato aumentar a insulina, que é um hormônio que induz o anabolismo, e assim seria potencializada a síntese proteica (muscular). Porém, os estudos de hoje em dia já mostram que um pequeno aumento no nível de insulina já é capaz de promover essa síntese proteica, e que nem sempre é necessário um carboidrato pra promover esse aumento. Por exemplo, o Whey Protein tem um perfil insulinêmico, e só ele poderá ser suficiente pra construção muscular. Lembrando sempre que você consumir ou não carboidrato após o exercício dependerá do seu objetivo e do seu treino, já que o carboidrato também pode ser importante para a reposição do glicogênio muscular.

Sendo assim, exemplos de bons pós-treino são: almoço ou jantar completos (contendo tudo que foi falado acima); ou um sanduíche contendo alguma proteína e salada. Se o uso de suplementos for necessário, o mais ideal seria o Whey.

Compartilhe no Facebook